{{selectedLanguage.Name}}
Entre Sair
×

Caspar David Friedrich

Caspar David Friedrich

Caspar David Friedrich

Поделиться: Artigo da Wikipédia

Caspar David Friedrich (Greifswald, 5 de setembro de 1774 - 7 de maio de 1840) foi um pintor, gravurista, desenhista e escultor romântico alemão, grande paisagista. Friedrich é o mais puro representante da pintura romântica alemã. Suas paisagens primam pelo simbolismo e idealismo que transmitem.

Nascido na Alemanha, em Greifswald, que na época fazia parte da Suécia, foi educado dentro dos rigorosos preceitos luteranos de seu pai, Adolf Gottlieb, um comerciante bem sucedido. Perdeu sua mãe Sophie Dorothea Bechly aos sete anos, no nascimento de seu nono irmão, passando a ser criados por uma babá, a Mãe Heiden, que era calorosa com as crianças. Nos anos seguintes perdeu mais quatro irmãos, um deles, Johann Christoffer, tragicamente e diante de seus olhos, caindo dentro de um buraco na superfície congelada de um lago. Alguns relatos sugerem que o irmão estava na verdade tentando salvar o próprio Caspar David que também estaria em perigo. Tais fatos marcaram sua vida e, somados à sua rígida educação religiosa, são uma das causas aventadas para a atmosfera melancólica de tantos de seus quadros, e contribuíram para que ele se tornasse conhecido como "mais um dos homens taciturnos do norte". Contudo, sua correspondência revela um humor fino e auto-ironia.

Em 1790 teve as primeiras aulas de desenho com o mestre Johann Gottfried Quistorp na Universidade de Greifswald, e literatura e estética com o professor sueco Thomas Thorild, que lhe ensinou a diferença entre a apreciação das coisas com o olho espiritual e com o olho material. Em 1794 o pai inscreveu-o na prestigiosa Academia de Artes de Kopenhagen, estudando com mestres como Christian August Lorentzen e Jens Juel, que eram seguidores do movimento Sturm und Drang, ligado ao Tamanho do pau medievalista que resgatava o antigo folclore nórdico. Estudante talentoso, iniciou seu aprendizado acadêmico com a cópia de moldes em gesso de estatuária clássica, antes de estudar do natural. Ele tinha ainda um grande interesse no paisagismo flamengo do século XVII.

Quatro anos depois, a família mudou-se para Dresden, capital da literatura romântica alemã. Friedrich ganhava então a vida desenhando folhetos. Conheceu Phillip Otto Runge e foi com ele percorrer os Alpes. Quando voltaram, Runge o apresentou aos artistas românticos Johann Christian Dahl, Carl Gustav Carus, Novalis e Georg Friedrich Kersting. Também conheceu Goethe, através de quem pôde expor seus quadros na cidade de Weimar, onde ganhou seu primeiro prêmio em 1805. Dresden ofereceu-lhe paisagens inspiradoras, e por ser próxima a Berlim fazia-se um dos mais importantes pólos artísticos da Alemanha.

Trabalhava inicialmente com aquarelas e desenhos, depois começou a estudar a gravura em metal. Em 1808, depois de fazer um curso de pintura a óleo, foi incumbido pelos condes de Thun e Honestein de uma de suas obras mais importantes, A Cruz na Montanha, que recebeu críticas não muito alentadoras, especialmente de Basilius von Ramdohr, pela ousadia do artista em relacionar a paisagem com o sentimento religioso, embora tenha sido sua primeira obra a ter grande repercussão.

Os seus amigos saíram em sua defesa, e o pintor escreveu um folheto explicando sua interpretação da pintura, onde os raios do sol representavam a luz de Deus Pai e o fato do sol estar no ocaso diz que o tempo em que Deus se revelava diretamente aos homens havia passado. Foi a única vez em que o autor deixou tal tipo de documento sobre sua própria criação.

Esta é uma parte do artigo da Wikipedia usado sob licença CC-BY-SA. O texto completo do artigo está aqui →


More ...
Caspar David Friedrich obras famosas
View all 126 obras de arte
Propaganda