{{selectedLanguage.Name}}
Entre Sair

Maurits Cornelis Escher

Maurits Cornelis Escher

Поделиться: Artigo da Wikipédia

Maurits Cornelis Escher (Leeuwarden, 17 de junho de 1898 — Hilversum, 27 de março de 1972) foi um artista gráfico holandês conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons (mezzotints), que tendem a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses - padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes. Ele também era conhecido pela execução de transformações geométricas (isometrias) nas suas obras.[

Maurits Cornelis Escher nasceu em Leeuwarden, Friesland, em uma casa que hoje faz parte do Museu de Cerâmica de Princessehof. Ele era o filho mais novo do engenheiro civil, George Arnold Escher e sua segunda esposa, Sara Gleichman. Em 1903, a família mudou-se para Arnhem, onde frequentou a escola primária e a escola secundária até 1918. Conhecido por seus amigos e família como "Mauk", ele era uma criança doente, e foi colocado numa escola especial, com sete anos de idade, e falhou no segundo grau. Embora se tenha destacado no desenho, as suas notas eram geralmente baixas. Ele também fez carpintaria e aulas de piano até os seus treze anos de idade. Em 1919, Escher frequentou a Faculdade de Arquitetura e Artes Decorativas de Haarlem ,

Em Haarlem, estudou brevemente arquitetura mas ele falhou (em parte devido a uma infecção persistente da pele) e mudou para artes decorativas. Ele estudou com Samuel Jessurun de Mesquita, com quem permaneceu amigo durante vários anos. Em 1922, Escher deixou a escola depois de ter experiência adquirida em desenho e ao fazer xilogravuras.

1922 foi um ano importante de sua vida: Escher viajou através da Itália (Florença, San Gimignano, Volterra, Siena, Ravello) e Espanha (Madrid, Toledo, Granada). Ele ficou impressionado com o campo italiano e pela Alhambra, um castelo mouro do século XIV, em Granada. Os intrincados desenhos decorativos no Alhambra, que foram baseados em simetrias geométricas, caracterizam-se entrelaçados com padrões repetitivos esculpidos nos tetos e paredes de pedra, foram uma poderosa influência sobre obras de Escher. Na Itália, Escher conheceu Jetta Umiker, com quem se casou em 1924. O casal estabeleceu-se em Roma, onde seu primeiro filho, Giorgio (George) Arnaldo Escher, em homenagem a seu avô, nasceu. Escher e Jetta mais tarde teve mais dois filhos: Arthur e Jan. Em 1935, o clima político na Itália (sob Mussolini) tornou-se inaceitável para Escher. Ele não tinha nenhum interesse na política, achando impossível envolver-se com quaisquer outros ideais do que as expressões de seus próprios conceitos através de seu próprio meio em particular. Quando seu filho mais velho, George,com nove anos de idade, foi forçado a a usar uniforme da Opera Nazionale Ballila na escola, a família deixou a Itália e se mudou para Chateau-d'Oex na Suíça, onde permaneceram por dois anos.

Escher, que tinha sido muito afeiçoado e inspirado pelas paisagens da Itália, era decididamente infeliz na Suíça. Em 1937, a família mudou-se novamente, para Uccle, um subúrbio de Bruxelas, na Bélgica. A Segunda Guerra Mundial os obrigou a se mudar em janeiro de 1941, desta vez para Baarn, Países Baixos, onde Escher viveu até 1970. O tempo às vezes nublado, frio e húmido dos Países Baixos permitiu-lhe concentrar-se intensamente em seu trabalho. Um tempo após ter sido operado, o ano de 1962 foi o único período em que Escher não trabalhou em novas peças. Maurits Cornelis Escher morreu no Hospital Hilversum antes de ter completado os 74 anos.

Esta é uma parte do artigo da Wikipedia usado sob licença CC-BY-SA. O texto completo do artigo está aqui →


More ...
Maurits Cornelis Escher Obras de arte
View all 470 obras de arte