{{selectedLanguage.Name}}
Entre Sair
×

Joseph Ducreux

Joseph Ducreux

Поделиться: Artigo da Wikipédia

Joseph, Barão de Ducreux (26 de Junho de 1735 - 24 de Julho de 1802) foi um retratista, pastelista, miniaturista e gravador francês, que foi um bem-sucedido retratista da corte de Luís XVI de França, e pôde voltar à sua carreira após a Revolução Francesa. Seus retratos menos formais mostram um interesse em expandir o alcance das expressões faciais para além daquelas dos retratos oficiais.

Nascido em Nancy, Ducreux pode ter treinado com seu pai, que também era pintor. Quando Ducreux foi a Paris em 1760, treinou como único estudante do pastelista Maurice Quentin de La Tour, que se especializou na pintura de retratos. Jean-Baptiste Greuze foi uma influência importante na técnica de pintura a óleo de Ducreux.

Em 1769, Ducreux foi enviado a Viena para pintar uma miniatura de Maria Antonieta antes que ela deixasse a cidade em 1770 e se casasse com Luís XVI de França. Ducreux foi feito barão e premier peintre de la reine (Primeiro Pintor da Rainha) em recompensa por seus serviços. Ducreux recebeu essa nomeação de Maria Antonieta mesmo não sendo membro da Academia Real de Pintura e Escultura, fundada em 1648. A academia era estritamente hierárquica e os cargos de pintor primário, pintor ordinário e inspetor ou inspetor geral de oficinas reais eram costumeiramente reservador a membros da academia.

Depois da eclosão da Revolução Francesa, Ducreux viajou a Londres. Lá ele desenhou o último retrato conhecido de Luís XVI antes da execução do rei.

Jacques-Louis David se tornou um dos associados de Ducreux quando este retornou a Paria em 1793. David ajudou Ducreux a continuar sua carreira. A residência de Ducreux tornou-se um salão informal para artistas e músicos, que encomendavam retratos dele. Um desses músicos era seu amigo Étienne Méhul, que teria baseado o personagem principal de uma de suas óperas em Ducreux.

Ducreux teve vários filhos. Seu filho mais velho, Jules, foi um pintor e capitão de infantaria que morreu na Batalha de Jemappes; algumas de suas pinturas ainda existem. Seus demais filhos faleceram ainda jovens. Sua filha mais velha, Rose-Adélaïde Ducreux, também se tornou pintora.

Ducreux se especializou na pintura de retratos e seus primeiros trabalhos eram feitos em pastel e incluem aqueles feitos dos connoisseurs Pierre-Jean Mariette, o Conde de Caylus e Ange-Laurent de la Live de July. Estes trabalhos podem ter sido copiados depois de De la Tour. A partir de 1760, Ducreux manteve uma lista de seus trabalhos, mas ao longo de sua vida, ele raramente assinava suas pinturas. Portanto, muitos de seus trabalhos continuam erroneamente atribuídos a outros artistas.

Outros retratos feitos por Ducreux incluem aqueles de Pierre Choderlos de Laclos e Maria Teresa da Áustria, assim como os citados acima de Luís XVI e Maria Antonieta. Ducreux fez também auto-retratos bem conhecidos nos anos 1780 e 1790, incluindo um (hoje na coleção do Getty Center em Los Angeles; c. 1783, à direita) no qual ele pintou a si mesmo no meio de um grande bocejo. Em outro, Portrait de l'artiste sous les traits d'un moqueur (c. 1793, Louvre; acima, à direita), o artista ri e aponta para o espectador.

Esta é uma parte do artigo da Wikipedia usado sob licença CC-BY-SA. O texto completo do artigo está aqui →


More ...
Joseph Ducreux Obras de arte
View all 10 obras de arte
Propaganda