{{selectedLanguage.Name}}
Entre Sair
×

Balthus

Balthasar Kłossowski de Rola

Поделиться: Artigo da Wikipédia

Balthus, pseudónimo de Balthasar Klossowski (29 de Fevereiro de 1908 – 18 de Fevereiro de 2001), foi um artista plástico francês de origem polaca.

Em toda a sua carreira, Balthus rejeitou as convenções usuais do mundo da arte. Insistia que as suas pinturas deviam ser vistas e não lidas, e resistiu a todas as tentativas para elaboração de um perfil biográfico. Por exemplo, num telegrama enviado à Tate Gallery quando da preparação em 1968 da retrospectiva da sua obra escreveu:

Nasceu em Paris, mas a sua família, devido às suas origens polaco-prussianas, refugiou-se na Suíça durante a Primeira Guerra mundial. Os seus pais separam-se pouco depois e Balthus passa a sua infância com o seu irmão Pierre na região de Genève, perto da mãe deles que convivia com Rainer Maria Rilke.

O seu pai, Erich Klossowski, que foi um conhecido historiador de arte que escreveu uma monografia sobre Daumier, e a sua mãe, a pintora Baladine Klossowska, faziam parte da elite cultural de Paris. O irmão mais velho de Balthus, Pierre Klossowski, foi um filósofo e escritor influenciado pela teologia e obra do Marquês de Sade. Nas visitas e amigos dos Klossowski contavam-se escritores famosos como André Gide e Jean Cocteau, tendo este tido inspiração para o seu romance Les Enfants Terribles (1929) quando das suas visitas à família de Balthus.

A mãe de Balthus reencontra o poeta Rilke em 1919 tendo o jovem Balthasar Klossowski então 11 anos. Dois anos depois, em 1921, o jovem artista publica o seu primeiro livro de desenhos, Mitsou, com o apoio do seu mentor, Rilke, que escreve o prefácio. O tema da história antecipa a seu fascínio pelos gatos que perdurará de que é exemplo o seu autorretrato de 1935 The King of Cats. O jovem assina o livro como «Baltusz», como assim o tratavam na época, que mais tarde transforma en «Baltus», e finalmente em «Balthus».

Na sua adolescência, reencontra numerosas figuras das relações da sua mãe e de Rilke que os vinham visitar, designadamente André Gide, Maurice Denis e Pierre Bonnard.

Em 1926 visitou Florença, onde copiou frescos de Piero della Francesca, que inspirou uma das primeiras obras (1927) do jovem pintor: a pintura em têmpera das paredes da igreja protestante de Beatenberg na Suíça. De 1930 a 1932 viveu em Marrocos, que estava sob o domínio francês, tendo sido alistado no exército em Kenitra e Fez, trabalhado como secretário, e foi quando esboçou a sua obra La Caserne (1933).

Em 1933 foi para Paris onde teve estúdio primeiro na Rue de Furstemberg e mais tarde na Cour de Rohan. Balthus não denotou interesse nos estilos do Modernismo e Cubismo. As suas pinturas apresentavam com frequência jovens raparigas em poses eróticas e voyeurísticas. Uma das mais conhecidas obras que apresentou na sua primeira exposição em Paris foi The Guitar Lesson (1934), que causou controvérsia devido à descrição explícita sexualmente de uma rapariga de costas sobre as pernas da sua professora sentada, tendo esta as mãos sobre a rapariga como se estivesse a tocar guitarra: uma perto da sua vagina exposta, e a outra agarrando o seu cabelo. Outras obras importantes apresentadas na mesma exposição foram La Rue (1933), La Toilette de Cathy (1933) e Alice dans le miroir (1933) .

Esta é uma parte do artigo da Wikipedia usado sob licença CC-BY-SA. O texto completo do artigo está aqui →


More ...
Balthus Obras de arte
View all 96 obras de arte