{{selectedLanguage.Name}}
Entre Sair
×

Anne-Louis Girodet

Anne-Louis Girodet de Roussy-Trioson

Поделиться: Artigo da Wikipédia

Anne-Louis Girodet (Montargis, 5 de janeiro de 1767 — Paris, 9 de dezembro de 1824), de seu nome completo Anne-Louis Girodet de Roussy-Trioson, também conhecido por Anne-Louis Girodet de Roucy-Triosson e por Anne-Louis Girodet-Trioson ou apenas Girodet-Trioson), foi um pintor francês, aluno de Jacques-Louis David, e um dos precursores do movimento romântico na pintura francesa ao introduzir elementos de eroticismo nas suas obras. Destacou-se pelo seu estilo preciso e claro e por ter sido o retratista preferido da família de Napoleão Bonaparte. A obra de Girodet-Trioson situa-se na charneira das duas grandes correntes artísticas do século XIX: a procura da beleza ideal segundo os cânones clássicos da pintura, na linha da pintura neoclássica do seu mestre Jacques Louis David, e uma vontade decidida de inovar. As suas obras estão impregnadas de uma graça e de um lirismo singulares, em harmonia com o espírito da sua época, prefigurando o romantismo.

Girodet-Trioson nasceu em Montargis, a 5 de janeiro de 1767. Ficou órfão muito cedo, cabendo a sua tutela e educação ao médico M. Trioson, "medecin-de-mesdames," por quem foi mais tarde adoptado, adicionando, a partir de 1812, o seu apelido de família.

Começou os seus estudos pela área da arquitectura, aparentemente procurando seguir uma carreira militar. Mudaria de opinião, fazendo estudos preliminares de pintura sob a orientação de um pintor parisiense chamado Luquin, entrando pouco depois, quando tinha 18 anos de idade, para a escola de Jacques-Louis David, da qual foi um dos alunos mais talentosos.

Em 1789, com apenas 22 anos de idade, viu uma das suas obras, Joseph, reconnu par ses frères, vencer a competição denominada Prix de Rome. Entre os autores preteridos estava François Gérard. Essa proeza fez de Girodet-Trioson uma celebridade nos meios intelectuais parisienses e permitiu-lhe partir para Itália para aí continuar a sua formação artística.

Entre 1789 e 1793 viveu em Itália, escapando assim à parte mais turbulenta da Revolução Francesa. Em Roma compôs a sua obra denominada Hippocrate refusant les presents d'Artaxerxes e Endymion-dormant, esta última actualmente no Museu do Louvre. Estes trabalhos foram saudados com entusiasmo no Salon de 1792.

Depois de ter regressado a França, dedicou-se, entre outros géneros, à pintura de retratos. Entre os retratados encontram-se vários membros da família de Napoleão Bonaparte.

Quando regressou a Paris, os "Poems of Ossian", que agora dominavam o panorama literário, tiveram uma grande influência sobre Girodet. Chegou a tentar, sem grande sucesso, compor poesia.

Em 1806, expôs a obra Scène de déluge, hoje no Museu do Louvre, a qual recebeu o prémio da melhor obra da década. Entre as obras preteridas estava a composição Sabines do seu mestre Jacques-Louis David.

Este sucesso foi seguido em 1808 pelas obras "Reddition de Vienne" e "Atala au Tombeau", este último um trabalho que viria a merecer uma imensa popularidade graças à feliz escolha de assunto e à ausência da teatralidade exagerada que marca muitas das obras de Girodet. Esse exagero de teatralidade reaparece, contudo, na obra "La Révolte du Caire" (1810).

O seu hábito de trabalhar à noite e outros excessos, começaram a abalar a sua saúde e criatividade. No Salon de 1812 ele apenas apresentou a obra Tête de Vierge e em 1819 Pygmalion et Galatée, obra que mostra algum declínio no seu traço.

Esta é uma parte do artigo da Wikipedia usado sob licença CC-BY-SA. O texto completo do artigo está aqui →


More ...
Anne-Louis Girodet Obras de arte
View all 24 obras de arte
Propaganda