{{selectedLanguage.Name}}
Entre Sair
×

Álvaro Lapa

Álvaro Carlos Dinis Lapa

Поделиться: Artigo da Wikipédia

Álvaro Carlos Dinis Lapa (Évora, 31 de julho de 1939 - Porto, 11 de fevereiro de 2006), pintor/escritor português era um dos grandes nomes da pintura portuguesa contemporânea.

Álvaro Lapa nasce em Évora em 1939. Em 1947, após a prisão do pai e o afastamento da mãe que se vê obrigada a ir trabalhar para o Barreiro levando consigo os 2 filhos mais novos, Álvaro Lapa fica entregue aos cuidados dos seus padrinhos.

Durante a sua formação académica, recebe lições (1950) de António Charrua (1925-2008) para melhorar a sua classificação na disciplina de desenho. É aluno de Vergílio Ferreira (1916-1996) nos 6º e 7º anos (1951 e 1952), o que o vai levar a iniciar-se na escrita de poesia.

Concluído o liceu em 1956, vai para Lisboa continuar os seus estudos na Faculdade de Direito. Publica durante este período um texto sobre Kafka, no Boletim da Associação de Estudantes da Faculdade e participa na “Missão Internacional de Arte” em Évora (1958), promovida por Júlio Resende e apoiada pela Fundação Calouste Gulbenkian. É neste evento que contacta com o expressionismo abstracto, através do artista convidado Theo Appleby.

Acaba por abandonar o curso de Direito (1960) para ingressar no curso de Filosofia, tendo neste período (1962) viajado até Paris onde contacta com artistas próximos do surrealismo e com a emergente arte americana. É também no ano de 1962 que começa a pintar com o seu amigo Joaquim Bravo (1935-1990).

Ainda em 1962, leciona a disciplina de Português no Ensino Técnico de Estremoz. Conhece António Areal (1928-1978), que o vai influenciar na sua forma de pintar. Casa com uma colega de faculdade, Maria Helena Azevedo e vê nascer Hugo, o seu primeiro filho. Acaba por se ver afastado da função pública em 1963 por suspeita de ser um activista de esquerda.

Em 1964, expõe pela primeira vez individualmente, na Galeria 111, em Lisboa. No ano seguinte nasce o seu filho Frederico e muda-se para Lagos, onde vai viver até 1970, retomando a convivência com o escultor e amigo João Cutileiro (1937-).

Nasce, em 1968, a sua filha Sofia e recebe o seu primeiro prémio de pintura (2.º Prémio na Exposição da Queima das Fitas de Coimbra). No ano seguinte nasce o seu quarto filho, Raúl.

Tem, com a sua viagem à Escandinávia em 1970, a oportunidade de experimentar novas formas de arte. Um ano depois viaja pela Europa e Norte de África. É neste ano também que se muda para Lisboa e se separa de Maria Helena Azevedo.

Deambulando entre Lagos e Évora, em 1972, escreve o texto “Um pato?” para o catálogo da exposição individual de Joaquim Bravo, na Galeria Quadrante, em Lisboa. No ano seguinte, com passagem por uma crise psíquica grave com internamento em Coimbra, vai encontrar apoio no amigo João Cutileiro. Conhece a pintora Maria José Aguiar (1948-) que, juntamente com João Cutileiro, o vão incentivar a mudar-se para o Porto onde passa a viver com a pintora.

Em 1974, escreve “Raso como o chão”, que será publicado em 1977 pela Editorial Estampa. Vai também escrever sobre Maria José Aguiar para a sua exposição individual na Galeria Espaço, no Porto. No ano seguinte conclui, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, o curso de filosofia e em 1976 obtém uma bolsa da Fundação Gulbenkian. Retorna ao ensino com uma passagem fugaz pelo Ciclo Preparatório, na Póvoa de Varzim, entrando depois como professor assistente na Escola Superior de Belas Artes do Porto, onde vai leccionar a disciplina de Estética.

Esta é uma parte do artigo da Wikipedia usado sob licença CC-BY-SA. O texto completo do artigo está aqui →


More ...
Álvaro Lapa Obras de arte
View all 22 obras de arte